CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS »

terça-feira, 20 de junho de 2017

Quanta Tristeza e Amargura


Quanta tristeza e amargura afoga 
Em confusão a 'streita vida! 
Quanto Infortúnio mesquinho 
Nos oprime supremo! 
Feliz ou o bruto que nos verdes campos 
Pasce, para si mesmo anônimo, e entra 
Na morte como em casa; 
Ou o sábio que, perdido 
Na ciência, a fútil vida austera eleva 
Além da nossa, como o fumo que ergue 
Braços que se desfazem 
A um céu inexistente. 

Ricardo Reis, in "Odes" 
Heterónimo de Fernando Pessoa 

sábado, 17 de junho de 2017

Fake da treta

CARÍSSIMO
Para ler
Para entender, para gostar da quinta arte você tem que aprender; tem que saber ler!
Se você não ler com sensibilidade, se ler como a um texto corrido; não percebe as entrelinhas
não vale nada mesmo!
Quando leres a quinta arte meu caro; não busque lógica
muito menos coerência!
Busque a emoção e as entrelinhas!
Para gostar da quinta arte meu caro, tem que saber ler, tem que perceber o que quer dizer!
Mas, você! Quando vai a praia e flatula na areia,
não sabe qual letra forma, acha que não vale nada mesmo! 



rubi

quarta-feira, 14 de junho de 2017

"Bo" Tarde


Queres Andar, correr a cavalo em 
Santa Comba Dão?

terça-feira, 13 de junho de 2017

Os Ombros Suportam o Mundo


Carlos Drummond de Andrade
Chega um tempo em que não se diz mais:
meu Deus.
Tempo de absoluta depuração.
Tempo em que não se diz mais: meu amor.
Porque o amor resultou inútil.
E os olhos não choram.
E as mãos tecem apenas o rude trabalho.
E o coração está seco.
Em vão batem à porta, não abrirás.
Ficaste sozinho, a luz apagou-se,
mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.
És todo certeza, já não sabes sofrer.
E nada esperas de teus amigos.
Pouco importa venha a velhice, que é a velhice?
Teus ombros suportam o mundo
e ele não pesa mais que a mão de uma criança.
As guerras, as fomes, as discussões dentro dos
edifícios
provam apenas que a vida prossegue
e nem todos se libertaram ainda.
Alguns, achando bárbaro o espetáculo
prefeririam (os delicados) morrer.
Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação.


segunda-feira, 12 de junho de 2017

Era uma vez...