CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS »

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

SONETO


Lágrimas Ocultas
Florbela Espanca

Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi outras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida...

E a minha triste boca dolorida
Que dantes tinha o rir das primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!

E fico, pensativa, olhando o vago...
Toma a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim...

E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!



Queres algo mais do que circo?



"E quando o circo pega fogo
somos os animais na jaula,
mas você só quer algodão doce"...

Renato Russo

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Belíssimo trabalho

Fig:fonte;facebook

Parabéns

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

hola...



"Para onde vão nossos silêncios
quando deixamos de dizer
o que sentimos"?


sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

olá...

Querendo ou não caro mio, a Barra da Tijuca parece com isso. As torres, o mar, os lagos, os espaçamentos... claro que ala não está ainda tão povoada. Quando O. Niemeyer desenhou o projecto ele disse que não seria um emaranhado de prédios como Leblon, Ipanema e Copacabana. Haveria espaço entre os arranha céus.
INão será tão bela se deixarem surgir os terrerões, os currais eleitorais...